Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alter Ego

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Alter Ego

02
Mai19

Sofá vermelho ...


Laura Antunes

...Fizemos lado a lado e em silêncio o percurso até ao carro.

O trajecto até tua casa também...pareciamos efectivamente dois estranhos que depois de um momento embaraçoso esgotaram as palavras e os assuntos.

Quebrava o silencio a musica que tocava...eu distraía-me daquele desconforto na observação das ruas por onde íamos passando...não sabia bem como me sentir mas havia um gosto difuso a rejeição que me incomodava.

Arrumaste o carro no teu lugar e subimos no elevador até tua casa num silencio se não embaraçoso, pelo menos...estranho.

Abriste-me a porta que fechaste atrás de ti...imaginava que nos fossemos sentar a ver um filme ou conversar...tens o dom de me surpreender...nem sempre pela positiva:

"...deves estar cansada Laura...eu estou...queres ir à frente arranjar-te para irmos dormir?"

Fiquei parada à tua frente uns instantes...a surpresa não me deixou reagir de imediato... o orgulho ferido foi mais forte que o desejo...subi as escadas e dirigi-me ao closet para me despir e preparar para dormir.

Procurei na mala aberta em cima do banco o pijama acetinado que tinha levado...os meus olhos pousaram na micro camisa rosa chá de seda que estava por baixo...desenhou-se-me nos lábios um sorriso perverso...não te ia facilitar a vida.

Despi-me e vesti a camisa...atravessei o quarto para ir ao wc arranjar-me para dormir...

Quando saí encontrei-te sentado na cadeira junto ao varandim de copo na mão..o teu olhar fixava a chaise longue...os meus olhos abriram-se ligeiramente quando se depararam com o que lá repousava: duas faixas de cetim pretas e um chicote com tiras acetinadas.

Fiquei parada entre a porta do wc e a chaise longue...os teus olhos percorreram-me da cabeça aos pés onde se fixaram uns instantes...iniciaram a viagem de volta e senti-os deslizarem pelas minhas pernas descobertas até abaixo das ancas onde terminava a camisa...podia jurar ter sentido as pontas dos teus dedos tocarem-me a pele.

Contornaste com os olhos a curva das ancas e detiveste-te ao centro uns centimetros abaixo do umbigo...tentavas adivinhar se a camisa escondia roupa interior.

Prosseguiste...sentia o teu olhar afagar-me os contornos desde a linha da cintura até ao peito onde ficaste suspenso numa contemplação demorada da excitação que o fino tecido da camisa não conseguia esconder...rodeaste demoradamente com o olhar cada protuberância que irrompia sob a seda da camisa...vi passares sugestivamente a lingua pelos lábios e humedece-los...senti gotas de suor fazerem fila e escorrerem-me costas abaixo sem se deterem e irem juntar-se a outras que nasciam no interior das  coxas e deslizavam até aos joelhos.

Pousaste o olhar na pele que a camisa deixava descoberta entre os seios e seguiste uma linha luzidia que subia desde aí até à concavidade da base do pescoço...seguiste até aos lábios onde paraste...involuntáriamente prendi o meu lábio inferior entre os dentes...suspirei...os teus olhos subiram e fixaram os meus, enfurecidos:

..." Laura...és uma mulher muito bonita...insensata e desobediente..."

Mantive-me imóvel e em silêncio...na verdade por não saber como agir...o que dizer.

Continuaste :

..."...desafias-me...constantemente.

Aceitas vir para casa de um estranho...não sabes nada de mim...

Entras aqui...és insolente e insubordinada...

...digo-te que não quero olhos revirados...lábios mordidos...fazes o quê? Suspiro involuntáriamente.

...Laura...eu vou punir-te..."

Pousaste o copo.

Levantaste-te...pegaste uma faixas:

- "...prometi apresentar-te o meu sofá vermelho...vais conhece-lo esta noite."

Avançaste para mim com a faixa na mão:

..." quieta!..."

Ordem desnecessária...estava imovel...colada ao chão...excitada e na expectativa...

Rodeaste-me e colocaste-te atrás de mim...num segundo deixei de ver...vendaste-me os olhos.

Sentia a tua presença...a respiração...os teus olhos em mim.

Ouvi-te dar uns passos e voltares para junto de mim...uns segundos imovel ao meu lado e começei a sentir numa mão alguma coisa sedosa a tocar-me...que foi subindo pelo braço e se deteve no ombro.

A sensação era boa...viciante...

Senti-te atrás de mim outra vez e...silêncio absoluto...imobilidade...audivel só a minha respiração e talvez os meus batimentos cardíacos.

As tuas mãos pousaram nos meus ombros:

..." vem."

Impeliste-me para a frente sempre a segurar-me pelos ombros...demos uns passos:

"... senta."

Percebi estar à frente da chaise longue...tacteei e sentei-me.

"...deita-te...eu indico a posição."

Senti novamente as tuas mãos nos ombros a impelir-me para um dos lados...deixei o corpo deslizar e deitei-me.

"... mãos para cima!"

Obedeci...Senti o aço frio nos pulsos...era o varão que estava colocado à direita da chaise longue...senti que me envolvias os pulsos com a faixa de cetim...senti dares um nó apertado que me impedia os movimentos...senti que prendias as pontas da faixa ao varão o que me imobilizava naquela posição.

Tocaste-me no queixo:

"... bem vinda...ao mundo do Emanuel ..."

Pensei: " e ao sofá vermelho..."

Felizmente não me podias ver revirar os olhos.

@LuzEmMim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D