Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alter Ego

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Alter Ego

25
Abr19

Perfume a café.


Laura Antunes

...Tinha três horas pela frente, confinada aos meus pensamentos...entretinha-me a observar as pessoas ao alcance da vista...tentava adivinhar-lhes a história.

Sempre que estava em espaços publicos, sozinha e desocupada a minha mente vagueava pelas vidas alheias com que me deparava.

Raramente as pessoas se apercebem como são transparentes aos olhares indiscretos...absorvidas nos seus dramas e na ilusão de serem invisíveis deixam que o olhar, as expressões faciais e corporais as desvendem...de pouco ou nada as máscaras elaboradas de maquilhagem, indumentárias e acessórios as salvam de olhos atentos e despudorados.

Uns assentos adiante do meu...dois homens de fato de bom corte...o casaco repousava no cabide junto às janelas...as camisas amarrotadas, desabotoadas junto ao pescoço e as gravatas lassas denunciavam um dia longo...ambos de pasta, computador e sem bagagem...provavelmente dois profissionais de topo a regressar de viagens de trabalho...as suas vidas poderiam ser clones não fossem os pormenores...

A dado momento o meu olhar cruzou-se com o deles...vi um predador e um homem resignado.

O primeiro recebeu uma mensagem no telemóvel...leu com ar despreocupado e não respondeu. O telemóvel do segundo passados instantes também deu sinal...apressou-se a ler...foi perceptivel o incómodo que a missiva lhe causou...suspirou e apressou-se a responder, visivelmente apreensivo parecia escolher cuidadosamente as palavras para a resposta.

Nos minutos seguintes o primeiro homem percorreu com o olhar os elementos do sexo feminino ao alcance da vista...susteve-o numa mulher vistosa uns lugares à  frente que retribuiu a atenção...o segundo continuava de olhos postos no telemóvel em expectativa.

O que se seguiu manteve-me ocupada até ao Entroncamento:

num espaço temporal de quinze, vinte minutos, chegavam ao telemóvel do primeiro homem mensagens que lia com ar enfadado e ignorava...o segundo enviava-as praticamente ao mesmo ritmo e a tensão no seu rosto aumentava visivelmente com o passar do tempo e a ausência de resposta.

Passadas cerca de duas horas o telemóvel do primeiro recebeu uma chamada...olhou visivelmente irritado o monitor e deixou tocar umas quatro, cinco vezes até rejeitar a chamada...continuou despreocupadamente a troca de olhares com a companheira de viagem.

O segundo homem, visivelmente ansioso, depois de enviada uma serie de mensagens, faz uma ligação...que é atendida após uns longos instantes...ouço-o desculpar-se: " perdi o primeiro comboio...desculpa, as coisas complicaram-se...não esperem por mim..." a chamada deve ter sido desligada...olhou o monitor...encolheu os ombros...suspirou...guardou o telemóvel no bolso do casaco pendurado ao seu lado, encostou a cabeça para trás e fechou os olhos...penso que adormeceu...ou só não queria ver mais nada.

Ao meu lado um jovem de phones trocou um olhar cumplice comigo e sorriu...retribui o sorriso...também eu tinha estado a ser observada nos meus devaneios...

Pelo intercomunicador foi informada a chegada à estação do Oriente dentro de instantes...comprimi instintivamente os músculos...agora era a minha própria história que começava...

O comboio foi abrandando a marcha e a maioria dos passageiros levantou-se para sair.

Os dois homens de fato e a mulher vistosa também...sairam apressadamente como se da sua destreza a alcançar a plataforma dependessem vidas...

O jovem dos phones, calmamente, reuniu os seus pertences e foi um dos ultimos a dirigir-se para a porta...sorriu em jeito de despedida.

Eu, concentrei o olhar no exterior...tentava distrair-me do meu nervosismo no bulício exterior...aquela era uma hora agitada...uma massa humana que se cruzava naquela plataforma.

Ouvi a indicação de partida do comboio para a derradeira paragem e o inicio da marcha rumo ao meu encontro contigo no teu mundo...os meus olhos perdiam-se na observação desse mundo cada vez mais próximo...

Inesperadamente todo o meu ser foi sacudido por um alerta cujo significado não identifiquei de imediato...procurei dentro de mim a origem para esse estado...reconheci um odor difuso...um aroma inconfundivel que me chegava às narinas...te-lo-ía reconhecido onde quer que estivesse...a minha cabeça rodou na direcção que o meu olfato identificava como sendo o local de origem daquele perfume...os meus olhos encontraram-te sentado uns lugares adiante...suponho que abri a boca, num gesto mudo e involuntário de espanto.

 

Fixava-te...trazias na mão um copo com café...ao teu lado a pasta com o pc...os nossos olhares cruzaram-se uma fracção de segundos sem nenhum vislumbre de reconhecimento da tua parte.

Foi comunicada a chegada eminente a Sta Apolónia...levantei-me atabalhoadamente...pûs a mochila às costas para me libertar os movimentos, agarrei no casaco e retirei o troley para o corredor...agora quem parecia precisar de defender a vida de alguém com a destreza de sair rapidamente daquele comboio era eu...curiosamente nem sabia bem para que lado me dirigir no exterior.

Mal o comboio se imobilizou, caminhei decidida na tua direcção...uma fracção de segundos antes de chegar à tua beira vi-te agachar, supostamente para apanhar alguma coisa que tivesse caído...parei ao teu lado no momento exacto em que te levantaste tão rapidamente que a mão que segurava o copo com o café esbarrou em mim...senti o liquido morno derramar-se em cima de mim e escorrer-me pelo peito, pernas e pés...fiquei estática...no ar espalhou-se um aroma intenso... como intensa foi a nossa troca de olhares.

@LuzEmMim

 

 

1 comentário

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D