Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alter Ego

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Alter Ego

28
Mai19

Odor da paixão


Laura Antunes

...Deixaste-me algemada ao varão e desceste as escadas em silêncio...ouvi o som de gelo tilintar num copo e deduzi que te estivesses a servir de alguma bebida...uns instantes depois o ambiente foi invadido por musica de tango que tocava em surdina.

Ouvi os teus passos escada acima...pousaste o copo na mesa de apoio e dirigiste para mim a tua atenção.

" ... a menina escolheu os brinquedos para esta noite...mas vai permitir-me usar mais um..."

Olhei-te numa interrogação...e gelei quando vi surgir diante dos olhos um afiado corta papel...

Aproximaste-te e sussuraste-me ao ouvido:

" ...minha querida...tiraste as cuecas sem te ter pedido...também não devo precisar de permissão para te tirar o resto..."

- " ...nem penses..."

O meu tom saíu mais desesperado que afirmativo.

A ideia de me destruires a camisa de noite...enfurecia-me...sabia-te bem capaz disso...e sabia que se o tivesses em mente nenhum dos meus argumentos te demoveria... implorar ou espernear só te incitaria ainda mais.

"... eu não penso...nada."

O teu sorriso era maquiavélico.

- " Emanuel...não estou a gostar da brincadeira..."

"... ainda bem...porque eu não estou a brincar..."

Era perda de tempo argumentar...suspirei e revirei os olhos...ostensivamente.

" ... Laura...Laura...minha querida..."

O teu tom era calmo e carregado de promessas.

Colocaste-te à minha frente...lentamente desataste o laço do roupão e fizeste-o deslizar pelos meus ombros até onde as algemas que me prendiam os pulsos ao varão, permitia.

Tocaste-me com o cabo do corta-papel...acariciaste-me com ele até veres o meu corpo reagir por baixo do tecido fino da camisa...quando supunha que irias continuar...sucedeu o inverso...afastaste-te...pegaste no copo e sentaste-te na cadeira a degustar a bebida e a olhar-me...parecias inspirar-te na melodia que tocava.

A tua observação deixava-me excitada e desconfortavel ao mesmo tempo...em expectativa também...ao contrário de ti que aparentavas estar perfeitamente calmo e sem pressa alguma...a escutar a musica e a apreciar a minha visão...

Eu imaginava que mais uma vez irias prolongar no tempo a minha agonia...deteres-te em toda a expécie de pormenores que me elouqueciam...torturar-me e prolongar o meu prazer com detalhes capazes de levar qualquer um à loucura.

Vi-te por a pé...lentamente pousar o copo e ires em direcção à chaise longue...pegar na venda e dirigires-te para a minha frente.

Beijaste-me suavemente os lábios...uma carícia tão terna que parecia irreal...colocaste-me suavemente a venda à frente dos olhos e gentilmente senti-a ser apertada à volta da minha cabeça...ajustaste-a com a ponta dos dedos como se estivesses a cuidar algo frágil e precioso.

A musica que tocava era nostálgica...inspirava uma certa tristeza que se coadunava com os teus gestos...senti que me tocavas os lábios e depois o queixo...aquela musica terminou e fez-se silêncio naquele compasso de espera...tu ficaste imóvel também.

O som que se segiu invadiu o espaço como um trovão...parecia que o piso tinha sido invadido por uma onda de choque...a música agora altissima fazia vibrar tudo à sua volta.

Senti o meu corpo ser agarrado por ti com uma intensidade que desconhecia...esmagaste-me as costas contra o varão de uma forma que desejei que ele estivesse bem fixo ou caíria de costas contigo em cima de mim...as tuas mãos comprimiam-me numa furia...numa ansia estranha para mim...a tua boca sugava-me e mordia por onde passava.

O meu corpo reagia ao teu ataque e correspondia ao teu desejo.

Com uma leve pressão senti cada uma das alças da camisa de noite soltarem-se e ela deslizar até ao nivel da cintura e ficar presa nos braços que a sustiveram...o pouco tecido que me cobria da cintura para baixo foi levantado até me deixar completamente exposta e sem aviso nem cerimónia senti ser inavadida por ti numa dança tão sedutora, profunda e intensa que gemidos alucinados de prazer incontido soltaram-se da garganta por me fazerem sentir o sangue ferver e correr nas veias.

As tuas investidas pareciam sincronizadas com aquela melodia...programadas para nos levar ao extase no culminar daquele trecho.

Nunca os meus sentidos foram tão despertos nem eu seduzida...por um lado teu, que eu não conhecia, de puro arrebatamento e paixão.

Aquela dança terminou quando a musica deixou de se ouvir e os nossos corpos exaustos se aquietaram e silenciaram.

Parecia-me sentir o cheiro a rosas vermelhas no ar...deve ser esse o odor da paixão.

@LuzEmMim

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D