Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alter Ego

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Alter Ego

06
Ago19

Confiança


Laura Antunes

... Deixei-me ficar na cama...embalada por pensamentos...perdida em antevisões...aconchegada pelo carinho do Eros...acabei por adormecer novamente...um sono leve...povoado de sonhos...talvez premonições que a minha intuição teimava materializar.

Via-me no sonho...sozinha a descer a encosta de uma serra...ao fundo um grande lago...negro, pelo reflexo do céu carregado pela tempestade que se aproximava.

Descia o mais rapidamente que podia, para me tentar antecipar à tempestade que sentia nas minhas costas...uma vã tentativa de fugir ao temporal... à solidão que sentia no peito...ao sabor do medo e do abandono.

Sentia-me sem escapatória...uma carga de água, prestes a alcançar-me...iria inevitavelmente abater-se sobre mim...corria encosta abaixo em direcção a um lago...rodeava-me arvoredo mas eu não procurava nele abrigo.

A chuva começou a fustigar-me...continuava em fuga...relâmpagos riscavam o céu cinzento escuro...ouvia os trovões rebentar acima da minha cabeça...fugia sem vislumbrar um porto de abrigo...o bater do meu coração...o meu próprio ofegar sobrepunha-se ao ruído da tempestade que me perseguia.

Outro som, despertou-me daquela angustia...um som insistente e desconectado daquela realidade...o som de chamada do meu telemóvel.

Aturdida e confusa peguei-lhe...era da biblioteca...significava que já passava das nove da manhã...devia haver alguma noticia sobre o meu pedido de licença.

Precisava de me recompôr...decidi não atender...retornaria a chamada daí a pouco.

Levantei-me...bebi água e fui refrescar-me...liguei a televisão e musica invadiu o espaço...devidamente recomposta e calma, devolvi a chamada...intuía que o motivo do contacto seria o passaporte para a minha nova vida.

A colega que me atendeu, sem surpresa, confirmou a necessidade da minha presença no sector de recursos humanos para formalizar definitivamente o procedimento da minha licença...surpresa foi a abordagem que me fez de seguida.

Cautelosamente e desculpando-se pela intromissão, questionou-me sobre o destino que pensava dar à minha casa durante o tempo que iria estar ausente.

Apanhada de surpresa com a questão, confessei não saber ainda o que fazer e exprimi a minha disponibilidade para ouvir sugestões sobre o assunto...o mote perfeito para a minha colega alegremente me comunicar que tinha a solução perfeita para o meu problema:

Vinha substitui-me, na biblioteca, uma velha conhecida dela de Cascais que tinha pedido transferência por mobilidade porque o marido, enólogo, vinha realizar um trabalho numa quinta desta região.

Esse casal, tinha absoluta necessidade de arranjar alojamento para se instalar rapidamente, portanto se eu estivesse na disposição de alugar temporariamente a minha casa, cada um de nós teria o seu problema resolvido.

Confesso que esta sincronicidade do universo me deixou sem palavras...ao ponto do meu silêncio ser encarado como hesitação pela minha colega, que prontamente me assegurou conhecer bem as pessoas em causa e a sua seriedade, pelo que não teria motivos para preocupação.

Numa agitação e entusiasmo, agradeci a excelente sugestão que me estava a dar e confirmei a minha disponibilidade para discutir os pormenores com o casal em causa.

Tudo se encaminhava para durante essa mesma tarde ficar com o assunto da casa e do trabalho, resolvidos.

Depois de desligar, dei com o Eros a olhar-me fixamente...parecia estar a compreender o que se passava...mas não comungava da minha excitação...suspirou e ficou sentado diante de mim...estático a olhar-me fixamente...parecia estar a perguntar-me se tinha a certeza do que me preparava para fazer...baixei-me...abracei-o e disse-lhe baixinho: "vai correr bem... tudo vai correr bem..."

Abanou a cauda...parecia ser o sinal do seu voto de confiança... dirigiu-se alegremente para a cozinha...parecia que a apreensão tinha desaparecido...parecia querer dizer-me: " confio em ti."

Sorri intimanente...era isso...tudo se resumia a uma unica questão: Confiança.

 Senti uma muito discreta pressão no peito...uma suave brisa entrou pela janela aberta da cozinha...um subtil arrepio percorreu-me o corpo...um infimo ponto brilhante acendia-se na minha mente...uma intuição...uma questão:

E eu...Eu...confiava? Incondicionalmente?

Um ruído estridente...despertou-me...

Uma mensagem...aquele som...eras tu.

@ LuzEmMim

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D