Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alter Ego

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Hidden side of the moon... Reverse is the right side.

Alter Ego

29
Abr19

Cinquenta segundos


Laura Antunes

...As escadas levavam ao espaço privado da tua casa...a tua suite...um sonho...sedutora, confortável, sofisticada...a cama com a cabeceira em pele ocupava sozinha um enorme espaço aberto que terminava num varandim em acrilico e que permitia uma visão completa de toda a zona da entrada e de estar, do piso inferior.

Uma porta de vidro fosco entreaberta deixava perceber que toda a parte esquerda era ocupada por um enorme closet, outra porta similar dava acesso na parte direita a uma fantástica casa de banho com uma janela gigante mesmo atrás de uma banheira de canto de hidromassagem...aquele luxo...oprimia-me...era um mundo muito diferente do meu...

Procurei com os olhos a minha mala...que pousaram num pormenor...entre os pés da cama e o varandim, um enorme espaço...repousava em cima de uma carpete felpuda uma chaise longue vermelha de um tecido aveludado...cujo lado direito se encostava a um varão metálico que se apoiava do chão até ao tecto.

Era aquele o sofá vermelho que me prometeras apresentar...

Junto ao varandim, um cadeirão de pele igual à cabeceira da cama estava estrategicamente colocado de forma a que quem nele estivesse sentado tinha no angulo de visão a chaise longue.

Apesar da dissincronia aparente de alguns elementos decorativos, o resultado final era visualmente...apelativo e com carácter.

A iluminação que entretanto ligaras, em conjunto com um sistema de som que envolvia o espaço inferior e superior na mesma melodia criava um ambiente sofisticado e intimista.

Estava a gastar muito tempo naquela observação...ainda não tinha percebido onde tinhas pousado a minha mala...o closet claro! a porta entreaberta tinha uma razão de ser...entrei...aquilo era o sonho de qualquer mulher...um espaço rectangular envolvido em prateleiras e gavetas... a parede do fundo era um espelho... de ambos os lados alinhavam-se os teus fatos, camisas, gravatas, sapatos...prateleiras com malhas, casacos, sobretudos...roupa de Verão, roupa de Inverno...casual e formal.

Malas, cachecóis e até guarda-chuvas...as gavetas deviam guardar objectos menores, roupa de dormir e roupa intima...os meus olhos pousaram numa porta de vidro à direita...chamou-me a atenção porque não consegui identificar o tipo de roupa que guardava...curiosa e intrigada abri-o...o que se me deparou deixou-me boquiaberta e...excitada:

perfeitamente alinhados, estavam pendurados acessórios que não fazem parte da indumentária quotidiana de...ninguém: faixas de seda de várias dimensões, chicotes de vários tamanhos e com tiras de diversos materiais...algemas forradas a tecidos sedosos e aveludados.

Numa prateleira ao lado, uma quantidade de frascos e embalagens que não me detive tempo suficiente para perceber do que se tratava...os meus olhos passaram para os objectos seguintes: brinquedos sexuais...vibradores e plugs...senti-me corar...transpirar...o meu corpo reagia aquela visão...ao que augurava...

Precisava de me despachar...tomar banho...fechei cuidadosamente a porta do armário...a meio do closet havia um móvel compacto com tampo em vidro, na frente um banco rectangular forrado a veludo...a minha mala repousava em cima...abri-a, indecisa sobre o que vestir...não fazia a minima ideia onde iríamos... sobre as tuas intenções para a nossa noite...decidi-me pelo vestido mais sofisticado que tinha na mala: preto, curto, de linhas direitas, ligeiramente evasé, num tecido sedoso. Combinaria com umas sandálias de salto alto nude com tiras com apontamentos acobreados.

Escolhi uma lingerie preta...coloquei tudo em cima da mesa no centro do closet e voltei-me para me dirigir à casa de banho...estremeci...surpreendeste-me parado à porta a olhar-me.

Num tom firme e casual:

" está tudo bem? não ouvia a água correr..."

-" Sim" Respondi apressadamente...os meus olhos desviaram-se instintivamente para a porta do armário dos " brinquedos..." esquecera-me se a fechara.

O teu olhar seguiu o meu...com um sorriso malicioso e provocador... tinhas percebido que andara a espreitar... numa voz impessoal disseste-me:

" Fica à vontade Laura...vou descer...se precisares de alguma coisa...diz."

Ouvi os teus passos afastarem-se escada abaixo...novamente sozinha, peguei no necessaire e dirigi-me para  a tua casa de banho.

Que fantástica! pensei...enorme como gosto, luminosa...aquela janela gigante com vista para o rio...imaginei-me dentro daquela banheira num banho de espuma à luz de velas...a musica ambiente...tudo um convite a ficar ali perdida no tempo...mas não agora...abri a água do duche que ficava ao lado...ponderei se não seria vista pela janela...impossivel...daí o vidro ser transparente.

Despi-me e deixei a água tépida acariciar-me o corpo por uns segundos, ensaboei-me para retirar do corpo o odor e os vestigios do café...recomposta e fresca fechei a água e enrolei-me numa toalha que deixaste pendurada no toalheiro ao lado.

Olhei o meu corpo refletido no espelho em frente...tive a sensação que me fazia mais magra...passei uma loção corporal...esquecera-me do roupão na mala...voltei a enrolar-me na toalha e saí para o quarto em direcção ao closet para me vestir...estavas parado no meio da sala a olhar para cima...acompanhaste-me com os olhos enquanto atravessava o teu quarto...

Vesti-me e calçei-me no closet e dirigi-me novamente à casa de banho para me maquilhar um pouco e perfumar-me.

A sombra brilhante e a máscara nas pestanas, realçavam os olhos, o batom vermelho completava a maquilhagem...sentia-me...bonita.

Peguei numa pequena clutch em tons nude com grafismos que podia usar a tiracolo onde coloquei os documentos, cartões, algum dinheiro, telemovel, a bolsinha da maquilhagem...  e numa echarpe em seda de fundo preto, com uns pelicanos impressos em tons nude e rosa chá para me aconchegar, caso a noite arrefecesse...estava pronta...passava das dez da noite...desci as escadas.

Encontrei-te parado ao fundo  à minha espera...tinhas ido trocar de roupa enquanto eu tomava banho...estavas com um ar fresco...a casa de banho de baixo tinha de certeza duche.

Vestias um fato de excelente corte de um cinza quase preto e uma camisa branca com uma muito discreta risca cinzenta, os sapatos e o cinto eram pretos...estavas muito bonito e elegante.

Olhaste-me com aparente surpresa e elogiaste-me:

" Laura...és uma mulher muito bonita...depreendo que aceitas o meu convite para jantar..."

Fiz um sinal afirmativo com a cabeça...nem sempre me sentia motivada para alinhar nas brincadeiras...estava a sentir-me cansada e com fome...

"...vamos então...a esta hora deves ter apetite..." Pareceste ler-me os pensamentos.

Dirigimo-nos ao elevador e tu continuaste:

"...vamos a um restaurante aqui perto...para os lados do oceanário..." Sorriste numa provocação, eu retribui o sorriso e a provocação com um revirar de olhos.

Continuaste:

..." vais gostar...é o minimo para te comprensar pela chatice da tarde...fala-me de ti Laura...quero saber...tudo."

Entramos no carro que puseste em marcha.

- " Tudo...isso é muito vago...sou bibliotecária..." Olhei-te pelo canto do olho com um sorriso. Continuei:

- ..." sou bibliotecária/ arquivista...moro e trabalho no norte...tenho um cão..o Eros...gosto de música...de lobos..."

" Lobos?! Porquê lobos?"

- são animais fantásticos...estrategas natos...vivem idealmente em alcateias, são extremanente organizados, respeitadores da hiérarquia, protectores dos velhos e dos jovens...podem ser solitários, mas tendem a constituir casais para a vida...são monogâmicos...em alcateia lidera o casal alfa...sabias que em caso de ataque ao macho alfa, a femea se coloca entre os dois machos com a cabeça junto à garganta do lider, fingindo-se assustada, para assim lhe proteger a garganta, o ponto vulneravel, de um possivel ataque? Existe entre a expécie um conceito de lealdade muitissimo apurado..."

..." estou impressionado...conheces bem os lobos...também comungas dos principios de lealdade e monogamia?"

Senti que me estavas a espicaçar... Fui firme na resposta:

- " Sem duvida!"

" Chegamos." Comunicaste.

Estacionaste atrás da Torre Vasco da Gama e seguimos a pé nessa direcção.

Áquela hora com as luzes já acesas a refletir no rio, a ponte ao fundo, a vista era de cortar a respiração.

- " vamos de teleférico?" perguntei entusiasmada

" não hoje..." Foi a tua resposta.

Paramos junto à torre...olhei-te numa interrogação sobre o motivo daquela paragem...

" vamos aqui"

-..." aqui?...vamos subir à torre antes de jantar?"

" vamos subir porque é aqui que vamos jantar..."

Nem imaginava haver ali um restaurante...Senti a tua mão no meu ombro a impelir-me para o enorme elevador de aço...Ouvi a tua voz junto ao meu ouvido:

"...cinquenta segundos..." Olhei-te numa interrogação muda...

"...cinquenta segundos...o tempo que vamos demorar a chegar lá acima...para que saibas o manancial de experiencias que se podem ter em...cinquenta segundos."

O elevador parecia estar a sugar-nos em direcção ao firmamento, sustive a respiração e ouvi-te numa voz baixa e provocadora:

" respira Laura...há melhores motivos para...ficar sem ar..."

Expirei profundamente e revirei os olhos...vi os teus semicerrarem-se...em mil promessas.

@LuzEmMim

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D